domingo, 15 de fevereiro de 2009

nuno nabais

sara matos

já tinha tirado esta foto há algum tempo (também já a tinha posto no portfolio) mas só hoje foi publicada, por isso só hoje a estou a colocar aqui.

Nuno Nabais, filósofo, muito simpático, foi um prazer fotografá-lo. Espero que ele tenha gostado do resultado.

15 comentários:

Helder Olino disse...

Ele não sei, mas eu gostei. :)

saves disse...

Se um dia me casar, vou contratar-te para fotografares o meu casamento. :P

saves disse...

Amanhã, ao meio dia, uma espécie de mimo no meu blog ^^'. Vai ver.

saves disse...

É por ser um blogue diferente que cá venho, mas quis mesmo dar o "prémio". :D

Laura Haanpää disse...

Tem um ar mesmo fixe o senhor Nabais! :)
*

Analog Girl disse...

Está muito boa, assim de repente faz-me lembrar um monge, sábio e tranquilo. Serão todos os filósofos assim?

Sara M. disse...

Helder Olino,
;)

saves,
não sei se algum dia vou fotografar casamentos mas, como isto está, já nem digo nada.
obg pelo prémio :)

Laura Haanpää,
oh.. foi um querido sim. :) eu gostei dele.

Analog Girl,
não, não sou todos assim. tal como nem todos os médicos são iguais, por ex. mas deste eu gostei especialmente :)
ah, ele é um dos donos da livraria da fábrica braço de prata. prometi-lhe que voltava lá sem ser em trab, aconselho a todos a dar lá um pulinho também, pode-se jantar, beber qualquer coisa, ouvir música, passear entre os livros, e há constantemente concertos, debates, filmes, etc - é só ver o programa. :)
*

patologista disse...

Está diferente da publicação. Na Publica estava tudo mais escuro, se bem me lembro. Mas gosto das duas versões.

Oscar Leonel disse...

No site do Público hà uma entrevista dele sobre mulheres, dà que pensar!

Sara M. disse...

patologista,
pois está. na revista ficou mais escuro. enfim.. há sempre surpresas. mas nao ficou mau de todo, só diferente
*

oscar leonel,
sim, é a rúbrica "o que sei sobre as mulheres", saiu na Pública deste domingo. diz umas coisas curiosas ele. ;)
bem-vindo
*

Anónimo disse...

Cara Sara, fico contente por se ter sentido bem em ter fotografado ilustre figura, mas pergunte-lhe, se não seria mais interessante, fotografar pessoas que tenham feito realmente bem ao país.
Enerva-me um pouco este culto em torno de figuras pseudo-intelectuais que fazem questão de realçarem a sua sexualidade, e de como as mulheres têm apenas a função de bibelot.
Pergunto-lhe também se não se sente agoniada com semelhantes palavras proferidas no público.
Até porque, a menina deve representar o novo paradigma de mulher, que certamente goza de uma independência femenina, que não deixa contudo de ser pequeno-burguesa.
Ou seja, porque é que a puta do femeninismo só serve para nos afirmarmos face a outras mulheres, e não para vomitarmos em discotecas com livros.
Acha mais legítimo ser explorada e maltratada por um homem de cabelos brancos à richard gere, do que ser explorada por um operário suburbano?
O que é que estas novas figuras iconoclastas, estrelas rock sem guitarra, tanto excitam nas foto-jornalistas de comunicação social?
Bjs.

Saudações

P.s

Não acorde um dia destes e dê consiga extinta.
Há que assegurar o nosso femeninismo pequeno-burgês.

Sara M. disse...

anónimo,
feliz ou infelizmente não costuma caber a nós escolher quem vamos fotografar.
eu gosto de fotografar pessoas, sejam elas homens ou mulheres, novos ou velhos, filósofos ou motards. gosto de sentir empatia por quem fotografo, o que nem sempre acontece. há muita gente que não gosta de ser fotografada ou então que acha que a fotografia é algo que está ali para ocupar espaço e não devem perder mais que 2 minutos com isso.
gosto sim de encontrar pessoas que parecem compreender o nosso trabalho e se entregam como são. que não suspiram quando lhes pedimos para mudar de cenário, por ex.

mas não percebo onde quer chegar com o comentário. a sério que não entendo.

e seja bem-vinda ao blog. se quiser explicar melhor o seu ponto de vista, esteja à vontade :)

Anónimo disse...

sara,
pressinto que a anónima1 tem razões pessoais para se sentir incomodada com o ilustre prof de filosofia; não um filosófo, como a sara escreve! não me parece que seja consigo o incómodo.
também não me quero expor (fico anónima2) mas acredite que a anónima1 tem força e verdade no que diz. o artigo do público parece "dar que pensar", talvez porque seja de um prof de filosofia mas não deixa de ser um discurso misógino.
espero que, como fotografa, a sara se deixe aliciar não só por imagens de gente com estratégias sedutoras e simpáticas mas que consiga sentir, e deixar ver, o conteúdo
do objecto/ pessoa à sua frente. um abraço solidário com a anónima1 e bom trabalho para si.

Sara M. disse...

anónima2,
ok.. estou a ver que o sr não é mto bem aceite por aí. da conversa que tive com ele, durante a sessão, pareceu-me boa pessoa. confesso que não gostei de tudo o que li no artigo mas isso é outra conversa.
*

Anónimo disse...

Talvez gostem de ler este artigo do DN.Recomendo especial atenção aos comentários à notícia:-)
Faculdade de Letras abre inquérito a professor
http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1655074