quarta-feira, 19 de agosto de 2009

os deuses deviam estar loucos

© sara matos

uns dias no campo para carregar baterias, para esquecer algumas coisas e lembrar de outras. ser recebida por uma tempestade com relâmpagos à mistura, falhas de luz e afins, é que não estava nos planos, mas foi só na primeira noite, nem deu para treinar as fotos de raios.

9 comentários:

Marcos Melo disse...

pelo menos conseguiste captar o momento do raio. o que é muito difícil!

não tens nenhuma fotografia do rio? deve ser muito bonito. ;)

Sara M. disse...

Marcos,
muito difícil mesmo apanhar o raio dos raios (ahah, olha a tentativa de piada).

por motivos extremamente egoístas a parte do rio, a comunhão com a natureza, o relax, a tranquilidade etc etc não foram captados desta vez.

Boo disse...

Mas olha que esta ficou fantástica, dando a sensação de todo o ambiente existente!! :)

Beijos

FranCreaciones disse...

que buena captura con el rayo en accion, un saludo.

Sávio Fernandes disse...

Os relâmpagos foram para te ajudar a carregar baterias.
Faz sentido.


[Se disseres que fizeste essa foto com 1 só disparo, faço-te uma vénia. d:]

Sara M. disse...

Sávio,
humm pois. bem visto. aqui estou eu bem carregadinha da enegia dos relâmpagos lol

[num só disparo não foi mas tb não disparei muito. mas não tinha tripé, não podia baixar muito a velocidade, daí o stress]

Vanessa disse...

mas que raio de foto! (ah.. piada) ;)
bem apanhada!

Pedro Lopes disse...

como se fazem fotografias de raios?

estou a ver a tempestade que passa
quando é que clico?

imagino que coloco a focagem em manual
e o foco no infinito

e no momento decisivo
como é que clico?

Sara M. disse...

Pedro,
eu nunca tinha feito mas, em termos teóricos e empíricos, o foco no infinito sim, medição de luz compensando um pouco (baixar 1 ou 2 terços de stop) porque na altura do raio terá mais luz. e penso que o ideal será ter a máquina num tripé, com uma exposição longa para poder apanhar os raios. o clicar é um pouco "à sorte" porque antes do raio não há nenhum sinal. eu tentei ver se havia alguma previsibilidade entre raio - trovão (o som) - e novamente o raio mas não é nada muito certo.

pode ser que o meu colega Sávio leia isto e queira acrescentar mais alguma coisa.

*