terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

profissão de menina e de menino

e nisto das profissões, como em tantas coisas na vida, há preconceitos que parecem nunca acabar. há aquelas profissões em que são os homens em maioria e aquelas em que são as mulheres a dominar as percentagens. então, se temos uma mulher camionista ou mecânica ou algo desse género, há juízos de valor, tal como um estilista é conotado de forma errada também. e a vida é assim. e é assim há algum tempo e parece que vai continuar assim. mas a mim custa-me assistir a isso.

e custa-me ainda mais ouvir a minha mãe dizer que a profissão de fotojornalista é para homens. que não vê mulheres nisso, nas confusões, nos incêndios (sair de casa à uma da manhã para fotografar um incêndio é coisa de menino - ou homem, vá). e são coisas que me custam ouvir, não consigo fazer com que ela perceba, compreenda e aceite, que é isto que gosto de fazer. que gosto de sentir a adrenalina de ir fotografar um incêndio, uma manifestação em que voam pedras, ou outra coisa qualquer. contar histórias, mostrar realidades, que não têm hora nem sítio certo para acontecer. isto não quer dizer que eu pondere sequer voltar atrás no que quero, mas fica sempre aquele nó na garganta..

e numa altura em que estou de férias forçadas (no desemprego, mas sem subsídio porque nem a isso tenho direito), pensar nisto tem um significado maior. como diz o menino no anúncio de tv: "era um sonho que eu tinha..."

6 comentários:

Cátia Pinheiro disse...

Olá
Lamento o desemprego.
sei o que isso é... mas tudo se resolverá ...
Quero acreditar que o que contas estará datado e que o nova geração não terá esse tipo de preconceitos... quero acreditar ...Contudo, vejo todos os dias nas escolas que os miúdos perpectuam essas ideias e curiosamente as jovens adolescentes dão-se a esse papel ...o de serem pequenas senhoras e mulheres que continuam com os preconceitos de machismo e com ideias de quais serão os seus papéis a desempenhar e que será dificil sair destes papéis...perdoa a tua mãe que não se dá conta que te magoa
boa sorte
beijos

Sara M. disse...

Cátia,
olá,
pois.. agora estou assim freelancer (até está na moda).
eu sei que ela não faz por mal, que se preocupa comigo, etc, etc..
espero que esteja tudo ok por esse lado. temos de marcar um café (há tanto tempooooo..).
bjs

patologista disse...

Pois te digo que a trabalhar com esta qualidade, não hás-de estar no desemprego por muito tempo. Mesmo sabendo como tudo está tão dificil.

Only Words disse...

Não coloques em causa as tuas evidentes capacidades. Tens dado provas que tens valor e, tenho a certeza, depressa esse estigma de que falas será ultrapassado. Yes you can! ;)

Analog Girl disse...

Estou com o patologista, é mesmo uma questão de fé e paciência. As coisas ajustam-se aos poucos.

Quanto às profissões...enfim, esse assunto já é tão careca e continua tão insolúvel hoje como quando começou. As mentalidades mudam, mas a verdade é que há e sempre haverão as diferenças entre os sexos, e seremos sempre confrontados com isso. Desde que continues a perseguir o que te faz sentir bem serás feliz, e não interessa a opinião dos outros. A tua mãe também se habituará...

enric Vives-Rubio disse...

Manifestações com pedras a voar??? Isso não deve ser em Portugal,... Aquí as manifestações são passeios de domingos,.... só falta alguem vender bifanas!!!
Tenho saudades das manifestações ilegais da minha terra,... pedras, contentores queimados a avançar contra os policias, policias encocados a disparar bolas de borracha,...
Mas a tranquilidade portuguesa é também um dom!!!!